“Os investidores procurarão oportunidades em mercados emergentes, com os investidores Europeus focados na Alemanha, na Polónia, em Espanha e na Irlanda” refere KC Conway, economista chefe na Colliers International.
Algumas das conclusões chave do relatório incluem:
• Economia Europeia ultrapassará Recessão e o Investimento crescerá: Com a crise da dívida pública a diminuir, forte procura comandará a recuperação no Reino Unido, em Itália, na Alemanha e em Espanha. Consequentemente, a confiança dos investidores britânicos crescerá em 2014, aumentando o PIB para 2,5%.
• Investimento em mercados periféricos e cidades secundárias crescerá: Os principais mercados europeus continuarão a atrair investimento, o que pressionará as yields e o valor dos activos. A escassez de oferta nos mercados principais conduzirá o investimento para mercado secundários em diversos países, mas, especialmente, na Alemanha, Polónia, Espanha e Irlanda. Fundos de pensões e seguradoras garantirão uma maior fatia da dívida em imobiliário, enquanto os bancos continuarem a reduzir os seus balanços.
• Trabalhos em Infraestruturas e urbanizações no Médio Oriente: As economias do Médio Oriente continuam a crescer para além da indústria petrolífera. A Colliers prevê que os países desta zona continuarão a investir em infraestruturas e urbanizações.
• África crescerá: A crescente estabilidade política, o investimento em infraestruturas, a urbanização continuada e as taxas de crescimento económico criarão novas oportunidades em África para empresas que procurem aumentar receitas e margens. A África do Sul continua a ser o destino preferencial, mas outros países estão já no radar dos investidores, como Angola, Namíbia, Gana ou Nigéria.
“No próximo ano, Portugal enfrentará novos e difíceis desafios, mas o antecipável interesse em mercados secundários, poderá fazer regressar o investimento estrangeiro” refere Joaquim Chambel. “Por outro lado, enquanto não descobrem o potencial de crescimento associado à economia Moçambicana, os investidores parecem cada vez mais perceber o potencial de Angola, onde a Colliers é líder de mercado” complementa Joaquim Chambel.
Para mais detalhes e consultar o relatório completo (versão em língua inglesa), visite http://viewer.zmags.com/publication/798f3b22#/798f3b22/1.