Gustavo Castro, Head of Research da Colliers International, em Portugal, comenta: “à entrada para 2013, não parecem existir grandes motivos para optimismo. Há um ano, os investidores estavam mais optimistas com a economia Europeia e menos preocupados com os problemas fiscais americanos; em Portugal, os investidores antecipavam uma retoma, já em 2013. Não obstante esta mudança de estado de espírito, a Colliers International acredita que ainda existem motivos para optimismo. Em baixo, identifico 5 previsões chave para 2013:

1. INDÚSTRIAS ICEE VÃO COMANDAR O CRESCIMENTO ECONÓMICO DOS PAÍSES DESENVOLVIDOS
As Indústrias de Capital Intelectual, Energia e Educação (ICEE) comandarão o crescimento económico dos países desenvolvidos. A inovação tecnológica continuará a sustentar a procura FIRE (Finanças, Seguros e Imobiliário) nos mercados mais maduros.

2. CRESCIMENTO DA PROCURA DE ESPAÇO PARA LOGÍSTICA NA CHINA
Na China, há uma reserva relativamente pequena de área classificada para a promoção de imóveis de armazenagem. Este constrangimento restringiu a oferta, o que combinado com diversos factores do lado da procura – como o crescimento do mercado de logística na China – transformará os armazéns chineses no produto estrela de 2013.

3. TRANSACÇÕES DE IMÓVEIS NA ZONA EMEA CRESCERÃO ATÉ 10%
Embora no início do ano, as transacções serão em número relativamente inferior, à medida que uma antecipada, ainda que modesta, retoma económica na zona EMEA se instale, será expectável uma recuperação nas transacções de imóveis. No final do ano, a Colliers International prevê que será possível que o volume de transacções seja 10% superior ao volume de 2012.

4. ELEIÇÕES EUROPEIAS NÃO AMEAÇARÃO A ZONA EURO
Embora as próximas eleições na Alemanha e em Itália prolonguem a incerteza e, potencialmente, despertem uma maior volatilidade nos mercados, a ameaça é pequena. O apoio da Alemanha à Zona Euro continuará a ser uma realidade no período pós-eleição. O risco de que as eleições em Itália não consigam eleger um governo que mantenha o caminho das reformas iniciadas com Monti é, igualmente, baixo.

5. O MERCADO HABITACIONAL DOS EUA CONTINUARÁ EM PROCESSO DE SOLIDIFICAÇÃO
O mercado habitacional dos EUA está, finalmente, em recuperação. O IMI (National Association of Home Builders/First American Improving Markets Index) mostra 201 mercados residenciais em recuperação – um máximo pós-recessão. Esta tendência continuará em 2013.

Veja mais aqui (versão em Inglês).