Do lado da oferta a produção tem caído, tal como o número de transacções, não sendo expectável que este panorama se altere enquanto o actual contexto económico nacional se mantiver inalterado.

Joaquim Chambel, administrador da Colliers International afirmou:

 “A ausência de uma bolha imobiliária em Portugal, bem ilustrada pela lenta correcção do mercado imobiliário ao longo de uma década, permite inferir que o mercado habitacional em Portugal não esteve exposto a uma sobre actividade especulativa como sucedeu noutros países.”

“O mercado imobiliário atravessa um mau momento que se deve à crise financeira mundial, sem precedentes, e a todas as consequências, bem conhecidas de todos, que daí advieram para a economia portuguesa – inexistência de crédito e crise de confiança dos agentes.”

O relatório da Colliers conclui que, ultrapassado este “cabo de tormentas” iremos deparar, nalgumas zonas, com pouca oferta e com uma procura efectiva reforçada, pela via de compras (ou ocupações) entretanto adiadas por razões conjunturais.

Veja mais aqui.